Sala de Recurso Multifuncional

"Se uma criança não pode aprender da maneira que é ensinada, é melhor ensiná-la da maneira que ela pode aprender."

(MARION WELCHMANN)









domingo, 4 de dezembro de 2011

Máscaras Africanas

Projeto Máscaras Africanas


A articulação entre teoria e prática é sempre um desafio entre o pensar e o fazer. Há uma grande distância que pode ser vencida e um dos caminhos possíveis para a superação dessa situação é a construção de estratégias de integração entre pressupostos teóricos aliados às práticas pedagógicas.

A E.E. Norberto Schwantes de Terra Nova/MT desenvolveu durante este ano, atividades dentro do Projeto “Cultura Afro-Brasileira e Mato-grossense”. O projeto foi idealizado e construído durante a semana pedagógica, no início do ano letivo e trabalhado no decorrer do mesmo com encerramento cultural no dia 18 de Novembro de 2011. A apresentação realizou-se através de oficinas que possibilitaram aos alunos interagirem com: textos, filmes, músicas, vídeos, danças, dramatizações, pintura em tela, artesanato em biscuit, capoeira e culinária.

Na Sala de Recurso Multifuncional, desenvolvi o Subprojeto Máscaras Africanas, os diversos povos africanos através das suas manifestações artísticas, possibilitaram aos ocidentais uma nova concepção da arte e do belo. As Máscaras retrataram variedades faciais que podem ser abstratas, animais, uma combinação de características humanas como expressões amedrontadoras, exageradas ou alegres e festivas, além de se diferenciar através de suas várias formas e tamanhos diferentes. Por ser a arte desse continente muito ampla, a prioridade foi o trabalho artístico com Máscaras Africanas, acreditei que o ensino da arte está intimamente ligado ao interesse de quem ensina e aprende rompendo com as barreiras da exclusão, visto que a prática educativa está embasada na capacidade de cada um. Cada aluno da Sala de Recurso tem suas particularidades que se respeitadas e bem trabalhadas dentro das limitações de cada indivíduo, há possibilidades de bons resultados.

O trabalho com a arte contribuiu para que os alunos inclusos explorassem seu intelecto, suas funções psicomotoras e a vivenciando a valorização social ao ver seu trabalho exposto e apreciado por toda uma comunidade.

Referências Bibliográficas



FERNÀNDEZ, a. A inteligência Aprisionada – abordagem psicopedagógica clínica a criança e sua família.Porto alegre, Artes Médicas, 1991.

LAKOMY, Ana Maria. Psicopedagogia – Teorias Cognitivas da Aprendizagem. Curitiba/PR. Ed. IBPEX. 1ª edição. 2008.


ARNHEIM, R. Arte e percepção visual: uma psicologia da visão criadora. São Paulo: Pioneira/USP, 1980.



















RESULTADO FINAL DESTA LINDA ARTE: