Sala de Recurso Multifuncional

"Se uma criança não pode aprender da maneira que é ensinada, é melhor ensiná-la da maneira que ela pode aprender."

(MARION WELCHMANN)









sábado, 26 de fevereiro de 2011

Projetos


PROJETO

“APRENDENDO COM AS DIFERENÇAS”

SALA DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS

ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO

Professora: Waldety Costa Tasso

Coordenação Pedagógica: Gilma dos Santos

Direção: Rosalinda Pelegrini de Oliveira Araujo

Escola Estadual Norberto Schwantes-Ano Letivo de 2011

Terra Nova do Norte – MT

JUSTIFICATIVA

A iniciativa da proposta deste projeto está embasada segundo a nota técnica SEESP/GAB/Nº 11/2010 do Ministério da Educação, Secretaria de Educação Especial e Esplanada dos Ministérios, que se trata das Orientações para a institucionalização da Oferta do Atendimento Educacional Especializado – AEE em Salas de Recursos Multifuncionais, implantadas nas escolas regulares.

A educação inclusiva, fundamentada em princípios filosóficos, políticos e legais dos direitos humanos, compreende a mudança de concepção pedagógica, de formação docente e de gestão educacional para a efetivação do direito de todos à educação, transformando as estruturas educacionais que reforçam a oposição entre o ensino comum e especial e a organização de espaços segregados para alunos público alvo da educação especial.

Nesse contexto, o desenvolvimento inclusivo das escolas assume a centralidade das políticas públicas para assegurar as condições de acesso, participação e aprendizagem de todos os alunos nas escolas regulares, em igualdade de condições.

Na perspectiva da educação inclusiva, a educação especial é definida como uma modalidade de ensino transversal a todos os níveis, etapas e modalidades, que disponibiliza recursos e serviços e realiza o atendimento educacional especializado – AEE de forma complementar ou suplementar à formação dos alunos público alvo da educação especial.

O Decreto nº 6.571/2008 dispõe sobre o atendimento educacional especializado, definido no §1º do art.1º, como o conjunto de atividades, recursos de acessibilidade e pedagógicos organizados institucionalmente e prestados de forma complementar ou suplementar à formação dos alunos no ensino regular. No §2º do art.1º, determina que o AEE integra a proposta pedagógica da escola, envolvendo a participação da família e a articulação com as demais políticas públicas.

Dentre as ações de apoio técnico e financeiro do Ministério da Educação previstas nesse Decreto, destaca-se, no art.3º, a implantação de salas de recursos multifuncionais, definidas como “ambientes dotados de equipamentos, mobiliários e materiais didáticos para a oferta do atendimento educacional especializado”.

Para a implementação do Decreto nº 6.571/2008, a Resolução CNE/CEB nº 4/2009, no art. 1º, estabelece que os sistemas de ensino devem matricular os alunos, público alvo da educação especial nas classes comuns do ensino regular e no atendimento educacional especializado, ofertado em salas de recursos multifuncionais ou centros de atendimento educacional especializado da rede pública ou de instituições comunitárias, confessionais ou filantrópicas sem fins lucrativos; e no seu art.4º define o público alvo do AEE como:

I – Alunos com deficiência: aqueles que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, intelectual, mental ou sensorial; II – Alunos com transtornos globais do desenvolvimento: aqueles que apresentam um quadro de alterações no desenvolvimento neuropsicomotor, comprometimento nas relações sociais, na comunicação ou estereotipias motoras. Incluem-se nessa definição alunos com autismo clássico, síndrome de Asperger, síndrome de Ret, transtorno desintegrativo da infância (psicoses) e transtornos invasivos sem outra especificação; III – Alunos com altas habilidades/superdotação: aqueles que apresentam um potencial elevado e grande envolvimento com as áreas de conhecimento humano, isoladas ou combinadas: intelectual, liderança, psicomotora, artes e criatividade.

Para a Escola Estadual Norberto Schwantes em Terra Nova do Norte-MT, Educar é ir além do convencional, ter coragem de ousar. Mudar é compromisso de cada um de nós, e mudar o que aí está posto necessita coragem para ousar e é nesta visão que a escola se propõe ao atendimento do aluno:

a) Atividades e recursos pedagógicos e de acessibilidade, prestados de forma complementar à formação dos alunos público alvo da educação especial, matriculados no ensino regular;

b) Articulação e interface entre os professores das salas de recursos multifuncionais e os demais professores das classes comuns de ensino regular;

c) Plano de AEE: identificação das habilidades e necessidades educacionais específicas do aluno; planejamento das atividades a serem realizada avaliação do desenvolvimento e acompanhamento dos alunos; oferta de forma individual ou em pequenos grupos; periodicidade e carga horária; e outras informações da organização do atendimento conforme as necessidades de cada aluno;

d) Existência de espaço físico adequado para a sala de recursos multifuncionais; de mobiliários, equipamentos, materiais didático-pedagógicos e outros recursos específicos para o AEE, atendendo as condições de acessibilidade;

Os projetos que serão desenvolvidos no decorrer do ano letivo, na Sala de Recurso Multifuncional, visão atender o aluno de uma forma abrangente na linguagem oral e escrita, coordenação motora, conhecimento corporal e lateralidade, orientação espaço-temporal, habilidades psicomotoras (no processo de alfabetização), conhecimento lógico-matemático, conhecimento de mundo, percepção, expressão Musical e dramatização.

OBJETIVO GERAL

· Desenvolver estímulos indispensáveis ao pleno desenvolvimento afetivo, cognitivo e social da criança, criando para isto situações adequadas ao seu desenvolvimento, socialização e diminuir os efeitos de problemas decorrentes do meio e demais estímulos referentes à aprendizagem.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

· Identificar dificuldade que induzem o aluno a conceitos diferenciados dos almejados em relação a determinados conteúdos.

· Introduzir o educando no mundo do pensamento mais ativo e organizado, através do trabalho individualizado, o uso de material de manipulação, tecnologia e a observação.

· Proporcionar estímulos que garanta a criança o desenvolvimento máximo de suas potencialidades.

METODOLOGIA

A Sala de Recursos multifuncional tem a função de estimular a aprendizagem, desenvolvendo atividades de linguagem oral, afetiva e escrita, através do uso de material de manipulação, sempre que possível, para facilitar a formação de conceitos abstratos, atividades lúdicas, brinquedos cantados e outros, pois quanto mais a criança age, mais desenvolve as estruturas que lhe permite significado ao seu comportamento e as coisas.

Nas estratégias a serem trabalhadas prevê-se o trabalho com aula de campo, DVDs, programas de computador, pesquisas digitação, jogos didáticos, carimbos, leituras diversas: individualizada, silenciosa, de figuras, de imagens (vídeo, DVDs, TV), trabalho envolvendo rótulos e outros recursos disponíveis nesta unidade escolar

A metodologia será aplicada de acordo com a grade curricular do ensino regular fazendo intervenções de acordo com a limitação de cada aluno. Como estratégia principal será observado a potencialidade de cada aluno. Usaremos os recursos didáticos e pedagógicos existentes na escola além de visitas planejadas aos órgãos públicos, favorecendo ao aluno a formação de conceitos resultando na aprendizagem.

O atendimento do aluno acontecerá no contra turno de acordo com a necessidade de cada um ou o mesmo será durante o período de aula, quando o aluno apresentar dificuldade de estar na escola, devido à distância do colégio e o uso do transporte escolar.

O Plano de AEE (EM CONSTRUÇÃO)

Objetivos Previstos: (EM CONSTRUÇÃO)

Superação das dificuldades motoras, de evolução conceitual, de atenção e de concentração.

Atividades do Plano (EM CONSTRUÇÃO)

Para o desenvolvimento da capacidade grafomotora e da motricidade ampla: atividades de desenho, pintura e o uso de diferentes instrumentos como suporte para sua expressão gráfica, como, por exemplo, o computador; uso de massa de modelar; a construção de maquetes; dentre outras atividades. Deslocamentos em ambientes abertos através da expressão corporal com o uso de variados recursos, tais como bolas, arcos, dentre outros.

Para desenvolvimento de conceitos, desenhar, jogo simbólico, dramatização, pintura, música, jogo da memória, associação de imagens e palavras, contato com variados gêneros textuais. Todas as atividades devem ser contextualizadas e significativas para a criança e devem ser realizadas em situações lúdicas.

Atenção e concentração

Jogos educativos diversos.

Oralidade

Relatos orais, registro oral de passeios, visitas, atividades de dramatização e brincadeiras livres que permitam ao aluno exercitar sua capacidade criativa e de expressão verbal. Interlocução entre a professora do AEE e a da sala de aula do ensino comum Visa a conhecer os efeitos do plano de EE no comportamento do aluno em sala de aula.

MATERIAIS DIDÁTICOS

- lupas;

- bolas diversas;

- 02 bolas de Pilates;

- bambolês,

- caixas de giz de cera;

- tesouras (grandes);

- cola tenaz;

- caixas de massa de modelar;

- ábacos;

- E.V.A de cores variadas (03 de cada cor);

-caixas de tinta guache,

- canetas marcar CD azul e preta)

- pincéis (espessuras variadas);

- rolo de papel bobina;

- resma de papel sulfite;

- cadernos pequenos (alunos do matutino e vespertino);

- papel crepom de cores variadas;

- papel camurça de cores variadas;

- papel para dobradura;

- papel cartão;

- caixas de palito de dente;

-maços de fósforo;

- pacotes de canudinhos;

- pacotes de bexiga (balão);

- tecido pintura;

- tecido (bordado p/ vagonite e ponto cruz);

- T.N.T (cores variadas);

- agulha de costura (de mão);

- agulhas de crochê;

- linhas de costura diversas;

- 10 m corda;

- 06 cones grandes

- 01 rolo de barbante;

- bastões de cola quente;

- 01 extensão;

- 01 T (para tomada);

- colchonetes;

- cabos de vassoura;

- pregos (pequenos e médio);

- feltro (diversas cores);

- Obs.: Os materiais de consumo serão utilizados bimestralmente.

RECURSOS DIDÁTICOS

- fantoches, brinquedos de encaixes, dedoches, quadro valor lugar, álbum seriado, livro de pano, livros paradidáticos e didáticos, dicionário de libras, quebra-cabeça variados, - blocos de madeira, garrafas pet, caixas de leite, material dourado, alfabeto móvel, jogos de memória variados, revistas e jornais velhos, livros diversos, sucatas e outros, tudo o que for necessário para enriquecer o trabalho dentro da proposta curricular da escola, contemplando o cotidiano e as especificidades de cada aluno.

RECURSOS TECNOLÓGICOS

Cada vez mais a linguagem cultural inclui o uso de diversos recursos tecnológicos para produzir processos comunicativos, utilizando-se diferentes códigos de significação (novas maneiras de se expressar e se relacionar). Inúmeros meios audiovisuais e multimídia disponibilizam dados e informações, permitindo novas formas de comunicação, além dos meios gráficos. As tecnologias da comunicação possibilitam novas formas de ordenação da experiência humana, com grandes reflexos, principalmente na cognição e na atuação humana sobre o meio e sobre si mesmo.

É fundamental que a instituição escolar integre a cultura tecnológica extracurricular ao seu cotidiano, proporcionando aos alunos o desenvolvimento de habilidades para utilização dos novos instrumentos de aprendizagem. A televisão é um meio de comunicação que oferece grande variedade de informações utilizando basicamente imagens e sons, o que a faz não depender necessariamente da cultura letrada, que não pode ser desconsiderada pela instituição escolar. É um meio de transmissão de programas, algumas vezes com finalidades educacionais, dirigidos a professores e alunos.

Já o computador é uma ferramenta que possibilita o estabelecimento de novas relações para a construção do conhecimento e da comunicação. O computador permite criar ambientes de aprendizagem que fazem surgir novas formas de pensar e aprender e, principalmente, de se comunicar. Para que os alunos não sejam receptores passivos é necessário contextualizar essas programações, levando em consideração as necessidades, interesses e condições de aprendizagem dos alunos.

- diversos tipos alternativos de comunicação;

- vídeos diversos;

- DVDs;

- aparelho de som;

- caixa de som;

- microfone;

- computador;

- impressora;

- softwares educativos;

- data show;

- máquina fotográfica digital

DURAÇÃO DO PROJETO

A execução deste projeto se dará ao longo do ano letivo, com possibilidade de se estender por mais tempo de acordo com as necessidades do aluno, até que a aprendizagem atenda aos objetivos propostos.

Computador e Educação? Uma ótima combinação

Como diz o Professor José Armando Valente em seu texto: ...O computador é apenas e tão somente um meio onde desenvolvemos inteligência, flexibilidade, criatividade e inteligências mais críticas... Ainda: ... Podemos concluir que com o uso do computador, mesmo as tarefas mais simples, como desenhar na tela, escrever um texto, etc..., são suficientemente ricas e complexas, permitindo o desenvolvimento de uma série de habilidades que ajudam na solução de problemas, levando o aluno a aprender através de seus erros...

Para tal utilizareis programas que despertem o raciocínio lógico matemático, produção de textos, artes entre outros recursos que as mídias nos proporcionam.

REFERÊNCIAS

NOTA TÉCNICA – SEESP/GAB/Nº 11/2010 - Orientações para a institucionalização da Oferta do Atendimento Educacional Especializado – AEE em Salas de Recursos Multifuncionais, implantadas nas escolas regulares.

Disponível em: http://www.sistti.com.br/syene/m1_principal.htm Acesso 20/02/2011

Marcos Seesp-Mec Fasciculo II.qxd 10/11/2010 Disponível em: http://portal.mec.gov.br Acesso 20/02/2011

ALMEIDA, Anne. Ludicidade como instrumento pedagógico. Disponível em: http://www.cdof.com.br/recrea22.htm. Acesso no dia 19 de fevereiro de 2006.
NUNES, Ana Raphaella Shemany. O lúdico na aquisição da segunda língua. Disponível em: http://www.linguaestrangeira.pro.br/artigos_papers/ludico_linguas.htm. Acesso no dia 16 de fevereiro de 2006.
VELASCO, Cacilda Gonçalves. Brincar: o despertar psicomotor. Rio de Janeiro: Sprint Editora, 1996

VEIGA, Marise Schmidt. Computador e Educacão? Uma ótima combinação. Petrópolis, 2001. Pedagogia em Foco. Disponível em: . Acesso em 20/02/2011

Ao usar estes textos, respeitar as referências bibliográficas e citar este blog.

ANEXO I – Fichas de encaminhamento

ANEXO I I - Relação dos alunos e suas...

ANEXO III - Projetos a serem trabalhados em 2011. ( Projeto Interação, neste projeto acontece a interação entre todos alunos da sala e oportunamente a participação dos pais; Projeto Artesanato, Projeto Bandinha)...

Atividades

AULAS SOBRE O CORPO HUMANO

http://projetosemsala.blogspot.com/2011/04/corpo-humano.html

PÁSCOA


Alfabeto Maiúsculo- bastão pontilhado

Painel Sílabas-Alfabetização


Alfabeto Minúsculo Pontilhado



Fotos
















Jogos Pedagógicos

Neste link em meu espaço Picasa Web, ótimos exemplos de
jogos pedagógicos.


JOGO DE ENFIAGEM COORDENAÇÃO MOTORA


Painel Sílabas-Alfabetização

Profª Waldety




Tocando em Frente Almir Sater
Composição : Almir Sater e Renato Teixeira
Ando devagar Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte,
Mais feliz, quem sabe
Eu só levo a certeza
De que muito pouco sei,
Ou nada sei
Conhecer as manhas E as manhãs
O sabor das massas E das maçãs
É preciso amor Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Sinto que seguir a vida Seja simplesmente
Conhecer a marcha E ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro Levando a boiada
Eu vou tocando os dias Pela longa estrada, eu vou
Estrada eu sou
Conhecer as manhas E as manhãs
O sabor das massas E das maçãs
É preciso amor Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Todo mundo ama um dia, Todo mundo chora
Um dia a gente chega E no outro vai embora
Cada um de nós compõe a sua historia
Cada ser em si Carrega o dom de ser capaz De ser feliz
Conhecer as manhas E as manhãs
O sabor das massas E das maçãs
É preciso amor Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Ando devagar Porque já tive pressa
E levo esse sorriso Porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua historia
Cada ser em si Carrega o dom de ser capaz
De ser feliz